Numa sessão caótica – a proclamação do resultado demorou mais de uma hora – o STF livrou a cara de Aécio por 6 a 5. O voto decisivo – em defesa de Aécio – foi da presidente Carmen Lúcia. Em resumo: foi uma vergonha!
Imunidade parlamentar virou sinônimo de impunidade penal.