Categoria: IMPRENSA

Artigo do Prof. Villa no Correio Braziliense e Estado de Minas: “Flertando com o comunismo.”

Em 1960, Caio Prado não poderia ignorar a repressão. Josef Stalin tinha morrido em 1953. Três anos depois foi realizado o (célebre) XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Nikita Kruschev, o novo secretário-geral do partido, apresentou o relatório sobre os crimes de Stalin. A literatura sobre as gravíssimas violações dos direitos humanos nos países socialistas era muito conhecida. A repressão à Revolução Húngara de 1956 estava ainda na memória. Mas o historiador não queria ver. Escreveu, sem corar: “Veja-se o que ocorre no terreno da liberdade de expressão do pensamento, oral e escrito. Nada há nos países capitalistas que mesmo de longe se compare com o que a respeito ocorre na União Soviética.”