Deu no G1:”Tribunal de Justiça concendeu liminar proibindo o bloco Porão do Dops de sair no carnaval de São Paulo. A decisão foi tomada pelo desembargador relator José Rubens Queiroz Gomes, da 7ª Câmara de Direito Privado.”

O deputado Jair Bolsonaro, ao dar seu voto no processo de impeachement de Dilma Roussef, aproveitou para homenagear o torturador Ustra.
Ustra usou da estrutura de Estado para cometer crimes.

A Constituição de 1988 define no artigo 5º, inciso XLIII, “a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia a prática da tortura , o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como crimes hediondos, por eles respondendo os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los, se omitirem”.

Jair Bolsonaro não teve seu mandato cassado, mesmo tendo violado a Constituição dentro do Plenário debochando das leis brasileiras!