O Ministro Público é independente.

Bolsonaro não leu a Constituição.

Sérgio Moro e o projeto de Lei de Abuso de Autoridade.

O ministro da Justiça está cada vez mais isolado.

Meu artigo na Istoé: “O isolamento de Bolsonaro”.

O presidente Bolsonaro tem enorme dificuldade para conviver com a democracia. Não faz questão de esconder. Em um cenário de tensão crescente vai, com certeza, pressionar os meios de comunicação. Usará de todos os recursos possíveis. Jornalistas vão ser ameaçados e as redes sociais deverão funcionar abertamente como braços do autoritarismo neofascista, espalhando mentiras. É esta a sua forma de agir. Deverá atacar o Congresso Nacional e as cortes superiores de Justiça. Contudo, os maus resultados econômicos vão limitar sua ação. A radicalização vai produzir mais isolamento. Sem apoio popular, restará sonhar com uma intervenção militar. Vai perder. As Forças Armadas não vão embarcar em nenhuma aventura política.

Crivella virou censor

O prefeito do Rio de Janeiro, ex-ministro de Dilma agora é inquisidor.

Enviou funcionários para apreender livros na Bienal do livro do Rio.

Inaceitável aceitar a censura no Brasil.

Ele tem de explicar as carteirinhas de pescador quando era ministro da Pesca de Dilma.

Fora censura!

Fora Crivella!

Deu n’O Globo:

“Na quinta (5), o prefeito Marcelo Crivella determinou “que os organizadores da Bienal recolhessem os livros com conteúdos impróprios para menores”. Crivella referiu-se especificamente a “Vingadores: A cruzada das crianças”, HQ de super-heróis da Marvel em que dois personagens masculinos aparecem se beijando em um painel. Nesta sexta, ameaçou cancelar o evento caso a obra, que já se esgotou , não esteja lacrada.”

Deputado sergipano lidera greve em São Paulo. Como?

Deputado sergipano do PSC, Valdevan Noventa, que estava preso foi quem liderou a greve em São Paulo.

Na privatização o transporte de São Paulo foi entregue praticamente a uma família, que tem subsídio de R$2 bilhões e 600 mil !

Há dois dias, Valdevan atrás estava debatendo o preço do coco.

Em 13/08 Raquel Dodge solicitou novamente a prisão do deputado Valdevan Neto.

Isto tudo não é no mínimo estranho?

Greve em São Paulo, Léo Índio, Bolsonaro, censura no Rio de Janeiro , o agronegócio e Sérgio Moro.

Subsídios da prefeitura de São Paulo para as empresas de ônibus: R$2 bilhões e 600 milhões.

Locaute e quem paga são os menos favorecidos!

Estranhíssima greve de ônibus em São Paulo: locaute.
No liberalismo de fachada foi entregue praticamente para uma única família o transporte público da cidade de São Paulo, com um orçamento de R$2 bilhões e 600 mil !

Melhorou o transporte público na cidade? 

Privatizar é a melhor solução?

Nesta caso foi privatizado para uma família que hoje tem o monopólio.

Valdevan Noventa deputado por Sergipe pelo PSC que estava preso,  foi quem negociou a greve sem “piquete” em São Paulo.

Marcelo Crivella ex-ministro da Dilma e inquisidor na Bienal do Rio.

A resposta da sociedade democrática já está em ação contra a censura do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella.

Bolsonaro não leu a Constituição: o Ministério Público é independente.

O presidente não pára de criar problemas com os nossos vizinhos, agora é com a Bolívia.

Para Bolsonaro a maior parte das queimadas ocorrem na Bolívia.

Esta semana agrediu Bachelet elogiando Pinochet.

Na Europa já atacou Brigitte Macron assim como o seu ministro da Economia, Paulo Guedes: ofensas gratuitas e covardes à uma mulher que não se enquadra aos padrões de beleza e de “idade” de Bolsonaro.

Todas as crises do governo Bolsonaro foram criadas por Jair Bolsonaro.

Agronegócio moderno quer posicionamento de Sérgio Moro sobre a Amazônia.

Deu na Folha:

“Representantes do agronegócio e ambientalistas querem posicionamentos e ações concretas de Sergio Moro, ministro da Justiça, contra o desmatamento ilegal e contra o roubo de terras públicas —a grilagem— na Amazônia.”

“Pensando nisso, nesta sexta (6), foi lançada a campanha “Seja Legal com a Amazônia”, que é assinada pela Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), AIPC (Associação das Indústrias Processadoras de Cacau), CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, Imazon, Ipam, Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável, SRB (Sociedade Rural Brasileira e Instituto Ethos.”

Confira: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/09/agronegocio-e-ambientalistas-cobram-acao-de-moro-contra-roubo-de-terra-na-amazonia.shtml

Assista ao comentário do Prof. Villa sobre a indicação de Augusto Aras para a PGR.

A PGR não é um braço da presidência da República.

A independência da PGR foi uma conquista da Constituição de 1988.

A metáfora de Bolsonaro do jogo de xadrez é digna dos “Trapalhões”:

“Vamos imaginar um jogo de xadrez do governo. Os peões seriam grande parte quem? Os ministros. Lá para trás, um pouquinho, o (Sérgio) Moro (ministro da Justiça) é uma torre. O Paulo Guedes (ministro da Economia) é o cavalo. E a dama, seria quem? Que autoridade? A dama é a PGR, tá legal? Tá dado o recado aí”, destacou, sustentando que o rei é ele, o presidente da República.” Correio Brazilienze

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2019/09/03/interna_politica,780586/bolsonaro-pgr-tera-valor-de-uma-dama-no-tabuleiro-de-xadrez-do-gove.shtml

Vamos aguardar e ver na prática a posição da PGR em relação a Lava Jato e Flávio Bolsonaro.

O historiador Marco Antonio Villa está diariamente das 7h às 8h no “Jornal Primeira Hora” da Rádio Bandeirantes 92.1 FM/90.9 FM e 840 AM. E também em seu canal YouTube “Blog do Villa – Marco Antonio Villa” com sua “LIVE” de segunda a sexta às 18:30. Siga o historiador Marco Antonio Villa nas redes sociais, e aqui no Canal Youtube, acesse: https://goo.gl/amUJJ3

Prof. Villa: palestras em todo o Brasil.

Entre em contato: marcovilla@blogdovilla.com.br

Capa da Istoé.

Patriotismo à la Collor. Presidente Bolsonaro convoca população a vestir verde e amarelo e movimento estudantil sugere preto como protesto, […]

Governo Bolsonaro.Qual governo?

Governo Bolsonaro. Qual governo?
Artigo do historiador Marco Antonio Villa
no Correio Brasiliense e Estado de Minas.
Com o aumento da impopularidade – e todas as pesquisas detectam esta tendência – Bolsonaro deverá intensificar os
ataques à imprensa. E contará com o apoio das milícias digitais. Vai radicalizar, cada vez mais, o discurso. Não perderá oportunidade para atacar os valores democráticos e seus adversários políticos. Se necessário irá utilizar os instrumentos de Estado para coagir seus opositores – já o fez, de forma embrionária, revelando linha de crédito para a compra de pequenos aviões da Embraer. Para ele, que não compreende as atribuições de chefe do Executivo federal, tudo é permitido. Supõe que o cargo permite que aja sem freios. Ignora os limites legais

Leo Índio circula com escolta da PF. Pode, Arnaldo?

O sobrinho do presidente, Léo Índio, está percorrendo o Nordeste. Disse ter muito prestígio e que anda com escolta da […]

Paulo Guedes ofende Brigitte Macron.

Guedes o “gentleman” também desrespeita a primeira dama da França, Brigitte Macron, chamando- a de “feia mesmo.”

Guedes e sua platéia são rastaqueras, vulgares e mal educados.

Que Brasil é esse ?

As relações entre os milicianos, Queiroz e Flávio Bolsonaro.

Ex-mulher do miliciano Capitão Adriano, que está foragido, “trabalhou” por 11 anos no gabinete de Flávio Bolsonaro.

“Diálogos revelam que Queiroz demitiu ex-mulher de miliciano para blindar Flávio Bolsonaro.” O Globo 05/09/19

Além da mulher, a mãe do miliciano também trabalhava em seu gabinete.

Flávio Bolsonaro  homenageou duas vezes o miliciano Adriano:

“Dois anos depois, em 2005, Adriano recebeu a medalha Tiradentes, principal honraria da Assembleia Legislativa, também com elogios à carreira do então militar. Ele estava preso, à época, respondendo pela morte do guardador de carros Leandro dos Santos Silva, de 24 anos, na favela de Parada de Lucas, Zona Norte do Rio. Familiares disseram que antes de morrer Leandro tinha denunciado PMs que praticavam extorsões a moradores na comunidade.” O Globo 05/09/19.

Sobre o miliciano Adriano que tinha ex-mulher e mãe empregadas no gabinete de Flávio Bolsonaro:

“Ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Adriano foi expulso em 2014. Ele é conhecido por se impor à base da força e também é suspeito de ser chefe do Escritório do Crime, uma facção miliciana especializada em matar sob encomenda.” O Globo 05/09/19.

Jair Bolsonaro já discursou a favor do miliciano Adriano:

“Ainda em 2005, o então deputado federal Jair Bolsonaro discursou em defesa de Adriano, dias depois da condenação do policial a 19 anos e seis meses de prisão pela morte do guardador de carros. O agora presidente chamou Adriano de “brilhante oficial”. O Globo 05/09/19
Por que Fabrício Queiroz está calado?
Quem pagas as contas de Fabrício Queiroz?
E se Fabrício Queiroz falar, quem ele irá prejudicar?

Bolsonaro, Queiroz e o miliciano Adriano. E pitadas de Guedes. Live 05/09/19

Confira o comentário do historiador Marco Antonio Villa sobre a matéria importante de hoje 05/08 n’ O Globo :

“Diálogos revelam que Queiroz demitiu ex-mulher de miliciano para blindar Flávio Bolsonaro.

Diálogos entre ex-funcionários do filho do presidente foram obtidos pelo Ministério Público do Rio.

Live AGORA às 18:30 com o Prof. Villa!

Faça seus comentários, participe! O historiador Marco Antonio Villa está diariamente das 7h às 8h no “Jornal Primeira Hora” da […]

Bolsonaro como cabo eleitoral de Trump.

Jair Messias a serviço de Trump como cabo eleitoral. Quer abrir as portas para mineradoras americanas em reservas indígenas. O […]