O trio Lula, Witzel e Bolsonaro. Live 30/09/19

O historiador Marco Antonio Villa está diariamente das 7h às 8h no “Jornal Primeira Hora” da Rádio Bandeirantes 92.1 FM/90.9 […]

Hoje Prof. Villa no Jornal da Cultura às 21:15.

O “grande ditador” na ONU.

Brilhante a capa da Istoé com Bolsonaro como Chaplin na célebre cena do filme “O grande ditador”.
Discurso desastroso.

O Brasil nunca esteve a beira do comunismo:
– Não tivemos: partido único, estatização dos meios de produção, censura estatal, bancos estatizados e Estado ateísta.

Artigo do Prof. Villa no Correio Braziliense e Estado de Minas: “Bolsonaro e o discurso na ONU”.

Jair Bolsonaro teve o desempenho esperando na abertura da Assembleia Geral da ONU. Foi o pior discurso de um presidente brasileiro desde 1982, quando João Figueiredo lá esteve. É conhecida a dificuldade de Bolsonaro para a leitura de um simples documento. Pior ficou quando teve de ler um discurso ao longo de intermináveis 33 minutos. O resultado foi desastroso. Se a imagem do Brasil já era ruim, após o libelo a situação piorou ainda mais. Caminhamos celeremente para ser um Estado pária na comunidade internacional.

Capa da Veja.

Janot a revista Veja:
“Ía dar um tiro nele e me suicidar.”
– Prestes a lançar um livro, Rodrigo Janot conta a Veja detalhes do dia em que foi armado ao STF para matar o ministro Gilmar Mendes.
– O ex- procurador-geral revela ainda que Aécio Neves e Michel Temer ofereceram cargos a ele para que paralisasse as investigações da Lava-Jato.

Artigo do Prof. Villa na Istoé :”Bolsonaro e a barbárie”.

O Brasil vai se acostumado aos horrores dos tempos bolsonaristas. Basta ver como o País recebeu o incêndio do hospital no Rio de Janeiro. A comoção foi pequena. O presidente se omitiu. O ministro da Saúde sequer se deslocou ao local da tragédia. Tudo foi tratado como se fosse um dado da natureza, como um furacão ou um terremoto, e não um produto da inépcia humana, de autoridades omissas, de um sistema hospitalar mercantilizado, de um País que vai perdendo a capacidade de se revoltar, que prefere a indiferença.Este processo tem história. Evidentemente que não começou com a posse de Jair Bolsonaro. Mas foi agravado pela sua política neofascista, pelo desprezo aos direitos humanos, pelo culto à violência. O que dizer de um presidente que simula um revólver com a mão? Não é um incentivo ao ódio? A resolver divergências pela força?

AO VIVO 27/09/2019

 

STF e a Lava Jato; Bolsonaro e a democracia; o impeachment de Trump. Live 26/09/2019

Bolsonaro cada vez mais impopular.

A confiança em Bolsonaro: queda livre contínua.

Entenda os dados da pesquisa no comentário do Prof. Villa.

Avaliação popular negativa, estagnação econômica, isolamento internacional: situação de crise política inevitável.

Bolsonaro falará cada vez mais para um público menor.

Seu discurso será cada vez mais radical e com ainda mais  ataques à Constituição.

Repercussões do discurso de Bolsonaro na ONU. Live de 25/09/19.

Bolsonaro na ONU:nenhum aplauso.

Pior pronunciamento de um presidente brasileiro. Trará prejuízos comerciais ao Brasil.

Estamos nos tornando um Estado pária na comunidade internacional: não tivemos um único encontro bilateral, nem mesmo com Trump.

A tradição da participação do Brasil na abertura da ONU.
Repercussão negativa como já prevista aqui nas “Lives”: na mídia internacional e com os setores responsáveis da economia como o agronegócio brasileiro.
Para o embaixador Rubens Ricupero  o discurso foi “desastroso” e fala de Bolsonaro na ONU afetará perspectiva do agronegócio. Confira a entrevista na revista Exame: https://exame.abril.com.br/brasil/fala-de-bolsonaro-na-onu-afetara-perspectiva-do-agronegocio-diz-ricupero/
Quem escreveu o discurso de Bolsonaro na ONU? 
O reacionário Steve Bannon e a influência no governo Bolsonaro.
Bolsonaro não sabe o que é comunismo.
1984 de Orwell, os dois minutos de ódio e o Brasil à beira da distopia.
Bolsonaro disse “I love you” para Trump. Dá para acreditar? 
Enfraquecimento político de Trump. Deu no G1″Documento mostra que Trump pediu ao presidente da Ucrânia que investigasse Biden.” Usar estrutura de Estado para benefício político é gravíssimo.
Cresce a desconfiança e cai a confiança em Bolsonaro: continuando esta tendência Bolsonaro radicalizará  seu discurso violento aumentando assim a crise e a temperatura política.

Assista na íntegra a participação do Prof. Villa no Jornal da Cultura

Artigo do Prof. Villa no Correio Brasiliense e Estado de Minas: “Os trabalhos e os dias de Bolsonaro.”

As pesquisas de opinião demonstram que o governo caminha para no final do ano atingir um índice de desaprovação superior a 50%. Não indica que possa retirar o país da estagnação econômica. O presidente passou a focar temas afeitos às questões de gênero. É uma estratégia que pode ter eficácia eleitoral, mas que nada agrega em termos políticos e, especialmente, no campo econômico. Ou seja, Bolsonaro tem entendido o ato de governar como se fosse uma extensão do processo eleitoral. Este engano pode ser fatal às suas pretensões.

Artigo do historiador Marco Antonio Villa no Correio Braziliense e Estado de Minas:”Bolsonaro é adversário da Constituição”.

Este autoritarismo do século XXI pretende eliminar as garantias constitucionais conquistadas ao longo das últimas décadas. Precisa manter a ofensiva contra o Estado democrático de Direito. E tem na Constituição de 1988 o seu maior adversário. Daí a necessidade de desmoralizar as instituições e testar a resistência dos outros Poderes frente aos avanços do Executivo. Deve também anestesiar a sociedade civil. Para isso conta com as milícias digitais e a produção em massa de fake news. É necessário construir uma realidade virtual fictícia que permita dar credibilidade aos devaneios reacionários. Verdade e mentira ficam de tal forma associados que não se sabe mais o que está acontecendo, mesmo sobre questões banais.

Guedes, o falastrão, agora não quer a nova CPMF.

Este é um governo sem rumo na economia.

Bolsonaro, seus e a república dos privilégios .Live 11/09/19

 

Hoje (11/09) estarei no Jornal da Cultura às 21:15.