A estratégia do governo em soltar balões de ensaio sobre a reforma da Previdência, não é uma boa estratégia. Gera polêmica, ruídos e demonstra fragilidade e fraqueza do novo governo.
A proposta inicial que deve ser apresentada, não é a mais fácil de ser aprovada pelo Congresso. Mas sim a que for melhor para o Brasil.
O sucesso do quadriênio presidencial depende da aprovação da Reforma da Previdência. Muitas das metas no campo econômico estão associadas à esta reforma.
O governo se sustenta em dois tripés:
– Tripé positivo: formado pelos ministérios da Economia, Justiça e a presença dos militares.
– Tripé negativo: formado pelos filhos do presidente, PSL e os cruzadistas como o ministro da Educação Ricardo Vélez.
O tripé negativo não pode decidir a sorte do Brasil.