Categoria: Política no Brasil

Entrevista Exclusiva com o ministro do STF, Alexandre de Moraes.Não perca!

Assista íntegra  👉🏻https://youtu.be/Cbk8JRfC1zg Qual a importância do juiz de garantias?

Governo Bolsonaro: Militar ou Miliciano?

O mundo miliciano não é o mundo da República.

Já se inscreveu no Canal? 

Ative as notificações 🔔 e assista entrevistas e Lives!

Como explicar Bolsonaro presidente? Você sabe?

Inscreva-se em meu Canal YouTube e ative as notificações 🔔

Bolsonaro e a conexão Rio-Brasília.

Bolsonaro, Witzel e a caterva política.

Ditadura Militar. Foi golpe?

Não perca a chance de ter aulas de História com o Prof. Villa: Nova Turma! 👉🏻 www.cursosdovilla.com.br 40% de desconto […]

“Traidor da Constituição é traidor da Pátria.” Dr. Ulysses Guimarães. Novo Curso Constituições!

Novo curso com o Prof. Villa 👉🏻www.cursosdovilla.com.br Curso: “História Política das Constituições Brasileiras.” “Para entender o Brasil de hoje, entenda […]

Temos um presidente que defende a ditadura e a tortura.

Prof. Villa entrevista Marcello Britto, presidente da Associação Brasileira do Agronegócio:”O agronegócio representa 40% das exportações”

Como conviver com o aumento da produção no agronegócio e a sustentabilidade?

Prof. Villa entrevista Murilo Hidalgo (Instituto Paraná Pesquisas): Eleições para Prefeito em São Paulo, Rio e Belo Horizonte.

Segundo a pesquisa, neste cenário o apoio de Bolsonaro não é elemento determinante para a vitória nas eleições municipais. Devido a sua rejeição no segundo turno.
A  campanha eleitoral e as mídias sociais: restrições?
Observa-se o mesmo fenômeno na maioria das capitais: o PSOL está superando o PT na intenção de votos da esquerda.
Será que o PSOL vai estar mais forte que o PT nas eleições de 2022?
Rejeição: 67,4% não votariam de jeito nenhum em Marcelo Crivella
para prefeito no Rio de Janeiro.
Pandemia como variável eleitoral:
-aumento de abstenção e a pesquisa não conseguir captar o resultado eleitoral.
-pior cenário possível é a abstenção, e quem irá comparecer serão os radicais tanto da direita como da esquerda.
-os eleitores mais idosos também não aparecerem para votar.
-aglomerações não vão ocorrer e portanto o papel das mídias sociais irá crescer mais ainda.