Política externa brasileira responsável: aliança estratégica com a China e não subserviência com os Estados Unidos.

O eixo econômico nas últimas décadas se deslocou do Atlântico para o Pacífico.

Na China encontra-se o futuro econômico mundial.
O Estado é o fator determinante para o crescimento na Ásia.
Vale destacar que a aliança com a China não seria de subserviência,mas sim uma aliança estratégica de médio e longo prazo entre dois países iguais, mantendo sempre os nossos vínculos históricos e culturais.
Isto colocaria o Hemmisfério Sul em outro patamar político e militar.
O Brasil precisa se reposicionar no mundo.
Até agora o Itamaraty tem assumido posições de alinhamento e subserviência que colocam em risco além do comércio exterior, a Segurança Nacional.
Estamos correndo o risco de nos tornarmos um Estado pária.