Meu artigo na ISTOÉ: “Quando o Carnaval passar.”

Da mesma forma como no impeachment de Dilma Rousseff, caberá às ruas o papel de principal protagonista. Em 2015 poucos acreditavam que o projeto criminoso seria apeado do poder. E foi. Agora, as delações da Odebrecht só produzirão resultados políticos com a pressão popular. A tentativa de um grande acordão, imoral, antirrepublicano, continua seduzindo a praça dos Três Poderes. Imaginam que o impeachment encerrou a crise política. Ledo engano. A crise está apenas no começo.