Meu artigo publicado na ISTOÉ.

Tudo indicava que o PT governaria tranquilamente por mais quatro anos. Contudo, a ânsia de poder absoluto do petismo levou a cometer um grave erro ao lançar candidato próprio à presidência da Câmara. Perderam. E ganharam em Eduardo Cunha um adversário. Foi em fevereiro. No mês seguinte, convocadas pelos movimentos independentes, em todo o País ocorreram manifestações, a 15 de março. Foi um sucesso. Em São Paulo, centro principal de oposição ao projeto criminoso petista, a avenida Paulista foi tomada, de ponta a ponta, por milhares de manifestantes.

Villa na Jovem Pan.

– Neste momento pretender todas as reformas e que o Brasil em dois anos se transforme em um paraíso é inexequível.
– O PSDB deve entender que este é um governo de coalisão, que enfrenta depressão econômica.
– O programa do governo deve defender os interesses da nação brasileira e não do mercado financeiro.