Folha de S. Paulo

PAULO GOMES
DE SÃO PAULO

O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito para investigar o trote que o prefeito Fernando Haddad realizou na segunda-feira (16), ao publicar uma agenda falsa de compromissos para induzir um crítico do governo ao erro.
A portaria, emitida pelo promotor Nelson Luís Sampaio de Andrade, cita reportagens da Folha e de “O Estado de São Paulo” que noticiaram o caso, que teve como alvo o comentarista Marco Antonio Villa, da rádio “Jovem Pan”.
O texto diz que a conduta, “além de incompatível com a dignidade e decoro do cargo, afronta diretamente os princípios da publicidade, da transparência, da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”. O trote é considerado pelo MP como improbidade administrativa e cobra esclarecimentos de Haddad em até dez dias.
O TROTE
A agenda oficial da Prefeitura de São Paulo foi divulgada na tarde de domingo. Todos os veículos de imprensa que fazem a cobertura do dia a dia de Haddad, por exemplo, receberam o e-mail. Na relação de compromissos constava apenas a informação: “A partir de 8h30 – Despachos internos”.
Reprodução. Agenda falsa do prefeito Haddad.

Reprodução.
Agenda falsa do prefeito Haddad.

No início da tarde de segunda, o prefeito revelou, em sua página no Facebook que havia usado a agenda oficial do município para o trote em Villa.
Haddad chegou a pedir desculpas a quem se sentisse ofendido, mas justificou o procedimento como uma forma de expor o comentarista. “Imagino que os cidadãos tenham o direito de saber quem desonra o jornalismo”, escreveu.
Em nota, a Prefeitura de São Paulo afirmou que “causa certo espanto” a abertura do inquérito e que prestará as informações solicitadas. Confira abaixo a íntegra do comunicado:
Em um momento em que a Prefeitura celebra importante parcerias com o Ministério Publico no combate à corrupção, levando à prisão servidores corruptos, bloqueando bens, reavendo valores desviados em gestões passadas, havendo tantas acusações relevantes de corrupção e desvios atinentes a atrasos em obras e serviços de outras esferas governamentais ainda sem a devida atenção (recentemente Ação Civil em que se questionava o uso dos recursos das multas de trânsito pelo Estado foi extinta por erro grosseiro da inicial assinada por promotor, não corrigida no prazo fixado pelo juiz!), causa certo espanto a abertura de inquérito para investigar a divulgação da agenda do Prefeito.
De qualquer forma, a Prefeitura prestará as devidas informações sobre sua agenda ao promotor oficiante, no momento adequado, muito embora os fatos já tenham sido amplamente divulgados e esclarecidos pelas mídias tradicionais e digitais.
PROCESSO
A Secretaria de Comunicação da prefeitura anunciou nesta quinta que Haddad vai processar o comentarista por calúnia, injúria e difamação. “As provas estão sendo catalogadas e dizem respeito a um ataque frontal a pessoa do prefeito. Inclusive com ataques pessoais.” Ainda segundo o órgão, a agenda publicada na segunda não contém inverdade, “apenas foi publicada nos moldes daquela dos políticos tradicionais”.
Ao saber do processo, Villa disse que irá se defender e que “não tem medo”. “Já bati de frente com Lula, vou ter medo de Haddad? Ele fez um ato de improbidade administrativa. É um moleque que fica brincando com a agenda. Ele que venha, eu vou me defender, ganhar e depois processá-lo para pagar meu advogado”, afirmou o historiador.

 

 

 

Clique aqui e se inscreva em nosso canal