Deu na coluna Radar da Veja: “Segundo a defesa do ex-ministro da Previdência Carlos Gabas, um dos alvos da Operação Custo Brasil, uma das Harley Davidson encontradas em sua casa pela polícia não era sua, e sim de um amigo que se mudou para o Rio de Janeiro e deixou a moto com ele para que levasse ao conserto.
Ainda de acordo com a advogada de Gabas, Danyelle Galvão, as motos foram indisponibilizadas pela Justiça, tendo suas vendas proibidas e servindo agora para o ressarcimento dos cofres públicos numa eventual condenação, mas o próprio ex-ministro ficou como fiel depositário das Harley Davidson. Ou seja: apesar do bloqueio judicial, elas ainda estão na garagem de Gabas.
Por fim, a advogada diz que o Rolex encontrado na residência do ex-ministro não era legítimo, e sim uma falsificação comprada por ele.”