“Consultar a agenda pública do prefeito é um direito constitucional (artigo 37). E vou exercê-lo. O que é inadmissível, é a fraude de um documento público, como foi confessado pelo prefeito. Aí já estamos na esferal penal (artigo 299).”
Marco Antonio Villa