Os ministérios da Fazenda, Coordenação Política e Relações Exteriores estão desenvolvendo o seu papel com muita competência e sucesso.
O mesmo já não se pode dizer dos demais ministérios. E aqui surge um dilema para o Presidente Temer: se modificar o ministério pode perder a margem confortável de votos que tem no Congresso, mas se, por outro lado, não alterar, pode também comprometer a eficiência administrativa do próprio governo.